Monday, January 02, 2006

Viagem Subterrânea

Colaboração Julio Anglada
Carlos Airton

Informações transcritas do livro "Estrelas Que Anunciam" com permissão "Copyright" da autora Ana Lúcia Marins


-------------------------------------------------------------------

ESTRELAS QUE ANUNCIAM

ANA LÚCIA MARINS (Linyth)


Houve um tempo em que esta humanidade veio para cá de mundos avançados, e aqui chegada, muitos trabalharam, progrediram e partiram de volta para seus lares siderais; outros não progrediram, estacionaram, ficaram presos ao sistema cármico do planeta e aqui permanecem até hoje. É o caso de muitos de nós, inclusive a autora deste livro Estrelas Que Anunciam, cujo mundo de origem é Antares, a Estrela Alpha da Constelação de Escorpião, assim como os Irmãos Estelares que lhe transmitiram as informações constantes deste livro.



Ana Lúcia é médium espírita, mas portadora de faculdades extrasensoriais adquiridas em outras existências terrenas, uma delas como sacerdotisa Inca, de forma que os seus contatos são efetuados mediante o desdobramento do corpo físico, aquilo que comumente se convencionou alcunhar de "Viagem Astral".



Mas conforme ela mesma explica, o desdobramento é diferente do que ocorre numa mesa mediúnica espírita, e a palavra mais apropriada é "Projeção", que pode ser em corpo astral ou mental.



O leitor amigo terá oportunidade de conhecer como tudo isso se processa, e muito mais, lendo as páginas do exemplar Estrelas Que Anunciam.



Fazemos votos para que, de tudo que for visto, o leitor possa tirar bom proveito para o seu resgate interno, pois é disso que precisamos para nos adequarmos às energias da Nova Era.





Viagem Subterrânea



Acompanhando Tharius - Destino?



Fui levada à nave Affhir 11, e recebida por Hóron que me conduziu diretamente a um compartimento novo para mim.

Pediu-me que entrasse numa cabina onde havia dois leitos, e fez com que me deitasse no que se achava do lado direito. Em torno de mim, vidros subiram formando algo na forma de um aquário, o que assustou um pouco.

Telepaticamente, recebi solicitação para que me acalmasse. Nesse instante uma luz azulada desceu sobre mim, era clara, suave e me sentia cada vez mais leve. Ela oscilava sincronicamente. Senti que flutuava, estava mais perto da luz - creio que por instantes adormeci. Quando dei por mim estava em outro leito, no lado esquerdo, sob luz violeta. Olhei na direção do leito que estivera anteriormente e vi o meu corpo, que permanecia lá. Afinal, o que estaria acontecendo?

Onde você vai não poderá ir em corpo astral, portanto ele ficará ali até que retorne - disse Hóron.

Olhei fixamente para meu corpo: nele havia milhares de microorganismos. Olhei para a luz violeta e ainda pude ver que os microorganismos estavam sendo desintegrados até que não restasse mais nenhum. Os vidros desceram. Hóron pediu que me levantasse. Senti uma sensação estranha, como se o meu corpo se expandisse irrestritamente, como se tudo estivesse dentro de mim e eu dentro de tudo.

Hóron fez sinal para que eu o acompanhasse e o segui. Sentia-me estranha, parecendo que os meus pensamentos, meus movimentos e tudo mais estivesse acelerado. Tharius estava esperando-nos, e quando nos avistamos nos cumprimentamos.

O que verás, Linyth, irá chocá-la, mas é preciso. Agora vamos.

Onde?

Iremos visitar uma base subterrânea de Extraterrestres existente na Terra e que atua em conjunto com um governo terreno. Na realidade, são três as bases subterrâneas atualmente existentes: a primeira está situada no Continente Africano: a Segunda, no Asiático e a última no Continente Americano, local para onde estamos nos dirigindo.

Entramos num portal (dimensional), atravessamos esse portal e chegamos a um deserto, onde avistamos ao longe luzes que demarcavam uma área imensa. Havia uma cerca alta ladeada de arame farpado. Aproximamo-nos e passamos por um portão vermelho, onde havia uma guarita guarnecida por soldados armados, que trajavam calças azul marinho e camisas azul clara. Entramos no prédio e viam-se por todos os lados fios de luz, quase imperceptíveis.

São censores, mas no estado em que nos encontramos não conseguirão detectar-nos.

E se eu estivesse em corpo astral?

A sua presença seria acusada. Agora vamos sem medo.

Entramos num elevador, que desceu em sentido vertical, mas a certa altura ele passou a viajar na horizontal. Parou e saímos; a luz daquele ambiente era vermelha.

Eles são sensíveis à luminosidade. Viveram milhares de anos sem luz em seu planeta primitivo. O sol foi até então a maior barreira para eles abordarem este planeta, o que só verificou após muitas tentativas. Depois de muita pesquisa conseguiram desenvolver um tipo de membrana especial que permitiu que eles pudessem permanecer aqui, só que desde as primeiras tentativas até hoje decorreram muitos séculos.

Passaram por nós alguns homens trajando jalecos brancos; estavam acompanhados por dois extraterrestres, e conversavam amigavelmente. Os "extras" possuíam membranas negras nos olhos grandes; no lugar do nariz havia dois orifícios e a boca era pequena. A pele era escamada e na cor escura.

Agora, encontrávamo-nos num grande salão que continha muitas celas. As que pude observar, estavam ocupadas com criaturas de aparência bizarra. O meu espanto foi tão grande que senti ânsia de vômitos, mesmo em corpo mental. O meu coração disparou descompassadamente. Tharius ergueu a mão em minha direção, mais precisamente sobre os meus chackas, e de sua mão jorrou uma luz azulada que logo me fez sentir melhor. Já não me senti abalada.

Você precisa aprender a se controlar, pois o que sentiu no corpo mental se refletiu no astral e físico.

Realmente, dia seguinte, quando desperta no corpo físico, fui entender o que Tharius quis dizer, pois encontrava-me numa verdadeira ressaca: cabeça pesada e o aparelho digestivo todo congestionado.

Continuando na nossa peregrinação, avistei, arrastando-se pelo chão, uma criatura de aproximadamente dois metros de comprimento, um misto de feto humano e réptil. Produzia ruídos esganiçantes e parecia sofrer muito.

Estas foram as primeiras experiências. Estão aí para afastar a curiosidade dos humanos que porventura possam ter acesso a este local, e foram aí colocados após a mudança de poder, troca de governo. Em suma, é um museu vivo de aberrações. Muitas dessas criaturas são exterminadas após clonagem. Os que restarem sofrerão vitimados por novas experiências.

A criatura se arrastava de um canto a outro da cela pequena. Eu conseguia sentir sentimento humano naquele Ser e nos demais. As variações físicas eram diversas, mas igualmente dolorosas para o Ser encarnado naquele corpo.

Saímos e nos dirigimos a outro andar. Havia centenas de mulheres da Terra, cujos corpos jaziam inertes sobre leitos, que se assemelhavam a colchão d`água. Outras se encontravam em salas cirúrgicas em posição ginecológica.

Destas que aqui se encontram estão sendo retirados óvulos para serem fertilizados com sêmen alienígena, para procriação de uma nova espécimen. O planeta deles já não oferece condições de sobrevivência. Embora possuam alto grau tecnológico, estão emigrando para outros locais e muitos já se encontram aqui em cidades subterrâneas com o consentimento do governo terráqueo respectivo.

E essas mulheres serão devolvidas?

As que sobreviverem sim. Mais tarde, se for necessário, serão novamente abduzidas. Todas sofrem lavagem cerebral, as lembranças que ficam são os piores pesadelos. Outras, não suportando os sofrimentos, enlouquecem. Aquelas em que a lavagem cerebral não obtiver êxito serão trazidas para aquela sala.

Fomos então até a sala. O que vi foi de estarrecer. Uma criatura humana - se assim puder chamá-la - enquanto folheava uma revista de quadrinhos, apertava um botão de uma máquina que fazia com que corpos masculinos e femininos fossem desintegrados.

Meu Deus! Quanta frieza! Estou pasma!

Todavia aquilo era pouco. Pouco? Sim, em outro andar vi os "extras" abrindo, retalhando corpos de pessoas vivas, indiferentes aos gritos de dor das desgraçadas criaturas. Após esse processo, os corpos eram colocados em um receptáculo que continha um líquido amarelo e lá ficavam imobilizados por correntes elétricas, que os mantinham parados, inertes, só os olhos se mexiam. Os órgãos abertos eram examinados por eles, que faziam anotações.

Foi demais para mim. Saímos de lá sem olhar para trás, parecia termos saído do inferno.

Uma nave corta o céu, estaciona, a escotilha se abre e entra uma, e outra e mais outra.

Aquele Governo nega a existência desse povo, no entanto eles estão lá, permanecem entre nós.



Uma vez chegando à nave Affhir 11 fui direto para a sala e deitei-me no leito que estava sob a luz violeta. Olhei para o meu corpo que estava no leito ao lado e desejei nunca ter saído dele. Queria esquecer de tudo quando regressasse ao meu corpo astral, mas sabia que não receberia essa bênção, pois certamente iria lembrar de tudo para que eu pudesse relatar posteriormente.

Agora, no corpo físico.

Segundo Tharius Dhan, essas experiências são feitas com o consentimento do governo do país onde se encontram baseados, e os Extraterrestres Confederados nada podem fazer nesses casos.





Ainda as experiências genéticas



Tharius, você poderia nos dar a localização das bases subterrâneas, como a que tivemos?

Não temos autorização

Por quê?

Não há mais necessidade, não está mais oculta e não colocaríamos você em situação difícil, sem necessidade. As evidências estão aí para quem quiser ver, já não conseguem camuflar os lobos atrás das inofensivas ovelhas e vacas.

E se não fosse a proliferação de vacas e ovelhas e sim de cobras e escorpiões?

Linyth, não se preocupe com o que estão fazendo, preocupe-se com o que você está fazendo e que ainda irá fazer. Para o supremo nada é oculto e só irão até onde Ele permitir. Assim foi e assim será.

Você fala deixando a entender, por que não é direto?

Para que raciocinem e cheguem às próprias conclusões.

Eu visitei com você uma base subterrânea, o que vi me chocou, como sabe. E nas outras, o que há nelas?

Destruição e dor.

Por que implantam chips?

O implante de chips se dá para várias finalidades. Os Confederados quando vêem necessidade o fazem para facilitar o contato com os canais.

Então, há humanos com chips sem o consentimento dos Confederados?

Há e variados são os ciplóqueos ou ciplos.

Ciplos?

Os ciplos são os implantados. Os Ciplos-Q geralmente são os abduzidos para experiências genéticas. As pessoas que são submetidas a esse tipo de experiência, quando retornam, são monitoradas em seus passos; qualquer pensamento não foge à vigilância deles.

Caso haja uma ameaça, por exemplo, de o bitorializado (implantado) lembrar de detalhes, de pessoas (terráqueos) ou lugar, eles são imediatamente levados, ou seja, abduzidos novamente, mas sem regresso para o convívio terreno. São cobaias agora em estado vitalício. Isso ocorre com o aval da nação, dos representantes dela.

Os ciplóqueos Q-6 são bitorializados que têm outra programação. São paranormais que produzem fenômenos chamando a atenção para eles. Geralmente são pessoas vaidosas e interesseiras. Os efeitos de luzes produzidos por eles, sob o véu de provarem que são extraterrestres ou chipados por extraterrestres, nada mais é do que o desejo de querer aparecer.

Executam fenômenos de entortar talheres, fazem esculturas, produzem aparelhos ditos curadores dessa ou daquela doença, que não passam nem dos testes mais grosseiros.

Ridicularizados, ridicularizam os extraterrestres ou mesmo colocam em dúvida a nossa existência.

Mas por que? Quais as pessoas que têm esse interesse?

Os não Confederados, que tiram toda a nossa credibilidade. Repare que quem produz esses "prodígios" não são pessoas espiritualizadas, que não se prestariam a apresentações circenses, espetáculos glamourosos para promover-se ou ganhar riquezas terrenas.

Os "extras" bitorializam seres até mesmo antes de nascer, aqueles que sabem serem fracos, pouco moralizados e que servirão mais tarde de comparsas.

Então esses chips podem ser colocados até mesmo antes de nascer?

Alguns são colocados ainda no útero materno. Muitos de nós, como já disse, somos arrolados, porque acham que pactuamos com esses seres, o que não é verdade.

E o que vocês fazem?

Esperamos.

Esperam?

A verdade é soberana Linyth. Com o tempo eles mesmos se desmascaram, perdem a credibilidade. Aqueles que dizem produzir tais fenômenos, como a cura; se propõem realizar esses "milagres" em hospitais do câncer, de aidéticos, a intenção não é curar ninguém como deixei claro. Primeiro porque violariam a Lei do planeta.

Já os Ciplos 66 são dotados de poderes, não para executar fenômenos físicos, mas portadores de intelecto que serve para enganar multidões, seja através do verbo articulado ou escrito.

È difícil para muitos de vós detectarem esses seres. Os seus seguidores são levados a cometerem barbaridades em nosso nome, como ocorreu nos Estados Unidos, onde houve suicídio coletivo a pretexto de serem levados para as naves.

Também fundam comunidades, criam leis, rituais; escrevem livros que adestram; proferem palestras hipnotizantes; projetam aparelhos e exercícios malabarísticos, tudo em nome dos extraterrestres. Enfim, eles querem e esperam que se creia que a solução está no céu.

O tempo passa, a Terra agoniza e a humanidade cada vez mais descrente. Tudo é uma estratégia muito bem elaborada dentre extraterrestres e desencarnados condenados ao planeta Aspirante.

Assim, qualquer um pode estar com um chips desses?

Pode, mas podem estar ou não acionados, e nem todos são para o mal.

Como saber?

Pelas atitudes. Para ficarem resguardados busquem a espiritualização, a moralidade e a oração, como vosso Mestre recomendou. Só são guiados aqueles que são passivos, que se deixam guiar.

Fiquem alertas, não com os cataclismos tão anunciados, que virão, mas quando só o Supremo o sabe. Preocupem-se sim com os cataclismos menores que acontecem dentro de vós, que já vieram e pouco têm deixado em vós, nem mesmo a esperança e a fé.

Atentai pois para o final, procurem perceber se algo está começando a acontecer dentro de vós



"Senhor, livrai minha alma dos lábios mentirosos e da língua pérfida." (Sal. 119:2)



Ana Lúcia Marins

Estrelas Que Anunciam

2 Comments:

Blogger Esmeralda said...

Gostaria de saber como manter contato coma autora, pois li o Livro Estrelas que anunciam e queria muito mandar email para ela.

5:20 PM  
Blogger Esmeralda said...

Gostaria de saber como manter contato coma autora, pois li o Livro Estrelas que anunciam e queria muito mandar email para ela.

5:20 PM  

Post a Comment

<< Home